Os conteúdos expostos nesta página não têm fins lucrativos. Temos como único objetivo manter vivo o legado de Michael Jackson.

MÚSICAS DE MICHAEL TAMBÉM AJUDAM A ACALMAR OS HAITIANOS


Port-Au-Prince, Haiti – Michael Jackson está ajudando os soldados americanos no Haiti na distribuição de ajuda e reconstrução do país devastado pelo terremoto.

Soldados que estão trabalhando na 82ª divisão aérea em Port-Au-Prince estão usando a música de Jackson, juntamente com outros cantores pop americanos e haitianos, para acalmar as multidões durante as missões de distribuição de ajuda.
Um dos soldados, Oficial Max – comandantes pediram que os sobrenomes dos soldados da unidade não sejam revelados devido à natureza de seu trabalho – disse que teve a idéia de usar música para controlar a multidão durante a distribuição de ajuda no mês passado.
“Os haitianos estavam empurrando, tentando avançar na fila da ajuda”, ele disse. “Eu conectei meu iPod no sistema de som e toquei algumas músicas , e as pessoas se acalmaram,” disse. “isso reduziu a tensão entre a multidão. No dia seguinte, saímos e tivemos o mesmo efeito. Max disse que sua unidade relatou aos líderes do Exército no Haiti sobre a capacidade da música de acalmar a multidão e que essa prática está se espalhando.
“Nós saímos em outra distribuição de comida recentemente e alguns (soldados) brasileiros apareceram e começaram a tocar música,” disse ele.
Quando as tropas tocaram “The Sweetest Girl”, do artista hip-hop haitiano Wyclef Jean, pelos auto-falantes dispostos no teto de uma Humvee (caminhonete militar) durante uma missão na semana passada, haitianos responderam cantando e dançando junto com a música.
“Nós tocamos Akon, Wyclef Jean e Bob Marley e tivemos muita sorte de conseguir música haitiana com um soldado que conhece a lingua Haitiana”, Max disse.
Outro soldado, oficial Anthony, disse que já ouviu bastante música pop haitiana desde que chegou em Port-Au-Prince. “Talvez se eu entendesse o que eles estão dizendo, curtisse mais a música,” disse ele.
Max nem pensa em tocar a música alternativa dos anos 90 que compôe a maioria das músicas em seu iPod. 
“A maioria das músicas com uma batida lenta, faz os haitianos fazerem um sinal com a mão,” disse ele, fazendo o gesto com os pulsos cruzados. “Isso quer dizer que eles não querem ouvir aquela música e sim pular para a próxima. “
As músicas de Michael Jackson são, até agora, as mais populares entre as multidões, disse Max. Os haitianos tentam imitar os passos de dança de Michael Jackson e incorporar alguns passos de hip-hop, disse ele.
O linguista, que cresceu no Haiti antes de se mudar para os Estados Unidos aos 19 anos, disse que Port-Au-Prince possuía muitas boates na época em que ali morou, nos anos 80, e até mesmo clubes de música após a escola, para as crianças.
A comandante da Marinha Americana Michele Hancock, uma especialista em planos e operações médicas especiais que dispôs suas tropas no Haiti no dia seguinte ao terremoto, disse que uma das mais tocantes lembranças da chegada ao lugar foi ouvir as vozes das mulheres cantando em uma distante vila à noite.

“É assim que eles expressam sua tristeza”, ela disse, acrescentando que pacientes que ela observou sendo tratados nos postos americanos frequentemente cantavam quando estavam em dor. 
O uso da música pelos soldados no Haiti contrasta com o relatado uso de música alta para incomodar os prisioneiros de guerra no Iraque, em anos recentes.
Max disse que não sabe se essa prática de uso da música no Haiti pode ser utilizada no Iraque ou Afeganistão, mas disse: “Acho que em situações de missões humanitárias de ajuda, onde as pessoas se aglomeram e precisam ser acalmadas, certamente seria muito útil.”

Comentário:
Que boa notícia em meio a tantas tragédias!
A música faz bem para a alma e para o coração. Parabéns a essas pessoas que tiveram o 'insight' para tal iniciativa.
Isso prova, mais uma vez, que quando se tem vontade e disposição, por mais difícil e calamitosa que pareça a situação, sempre há algo a ser feito para aliviar a dor daqueles que sofrem. 
Já pensaram que maravilhoso seria se houvesse almas iluminadas também para implantar tal iniciativa em países como o Iraque e o Afeganistão, por exemplo?
Quem sabe se não seria um 'santo remédio'
Fonte:
http://www.stripes.com/article.asp?section=104&article=6839

2 comentários:

  1. Lovely: fiquei sabendo, no site da TMZ, que os filhos do Michael estão enfrentando situações preocupanyes em Encino: os muitos filhos do Jermaine moram lá (ele não paga pensão), um dos primos de 13 anos comprou uma arma e estava testando pontaria no....Blanket (o mais "anjinho" dos 3). O Juizado de Menores está entrevistando os empregados e moradores. A Debbye está muito precupada.
    Ela foi vista visitando o cemitério e chorou com as fãs.
    Precisamos orar pelos anjinhos de MJ.

    ResponderExcluir
  2. Oi Maria, tudo bem?
    Também fiquei sabendo dessa história. O Jermaine sempre esteve envolvido com situações familiares complicadas, embora seja uma boa pessoa.
    Parece que ele deu uma entrevista explicando o que aconteceu. É aquele velho problema do mau uso da Internet e se os pais não ficar de olho vivo, é uma porta aberta para o perigo.
    O que preocupa mais também é que dona Katherine já está bem idosa para passar por essas coisas. Ela já sofreu muito na vida, não merece isso.
    Mas vamos orar e torcer para que tudo volte à normalidade.
    Acho difícil a Debbie conseguir a guarda das crianças porque o Blanket não é filho dela e em um eventual requisição por parte dela implicaria separar Blanket dos irmãos, o que eu não acredito que vá acontecer.
    Provavelmente essa história será contornada em Encino mesmo, espero!
    Abraço.

    ResponderExcluir